blog.rogerioleal

Como diminuir a carga tributária da minha empresa?

Como diminuir a  carga tributária da  minha empresa?

Como diminuir a carga tributária da minha empresa?

Todo negócio precisa pagar impostos e lidar com a carga tributária, não há como fugir disso, não é mesmo? Essa é a realidade brasileira e uma das premissas para ser um bom empreendedor é buscar estar sempre de acordo com a lei.

Mas, você sabia que é possível reduzir a carga tributária que o seu negócio paga? Pois bem, é possível sim! Afinal,todos sabemos que o empreendedor brasileiro sofre muito com a elevada carga tributária. Portanto, é preciso entender quais as oportunidades existem para conseguir poupar dinheiro para o negócio.

Pensando nisso e para que seja possível entender como pode ser feito, preparamos este post com 5 dicas para reduzir a carga tributária da sua empresa. Ficou interessado? Então, acompanhe o restante do post conosco!

1. Entenda a especificidade de cada regime tributário

O primeiro passo para que seja possível reduzir a carga tributária a ser paga pela empresa é entender quais oportunidades que cada regime disponível no Brasil oferece.

Para quem não sabem, atualmente existem 3 tipos de regime tributário: O simples nacional, o lucro presumido e lucro real.

Nesse sentido, é importante conhecer a fundo a especificidade de cada um deles. Por exemplo, é preciso saber quais as taxas que incidem, bem como os requisitos que a empresa precisa ter para entrar em cada um e também qual deles é mais vantajoso para a sua realidade.

Para que você possa entender melhor, o Simples Nacional se encaixa melhor em pequenas empresas, principalmente nas que possuem uma alta lucratividade e baixas despesas. O seu diferencial é que ele opera em um sistema simplificado de arrecadação.

Já o lucro presumido é recomendável para os negócios que possuem uma margem de lucro reduzida, uma folha salarial baixa e despesas operacionais também baixas.

O lucro real é um regime que é mais indicado para empresas maiores, com uma margem de lucro reduzida, despesas operacionais altas e não depende do consumidor para sobreviver, ou seja, seu produto é vendido para outras empresas.

Se esse entendimento ocorrer desde o momento da abertura da empresa, melhor ainda, pois será possível saber qual deles se encaixa melhor na questão de não gerar uma grande carga tributária desde o início das suas operações.

2. Faça um planejamento tributário

Outro passo importante para reduzir a carga tributária da empresa, é fazer um bom planejamento tributário. Pois é por meio dele que será possível aproveitar as oportunidades que o governo proporciona no que diz respeito a reduzir o pagamento das taxas.

Essas oportunidades podem aparecer em forma de incentivos fiscais, créditos fiscais, dentre outros incentivos que contenham esse mesmo objetivo.

Saiba que é possível sim reduzir a carga tributária sem burlar a legislação, sem sonegar impostos ou qualquer outra ilegalidade. Isso pode ser feito aproveitando os meios legais que ajudam a evitar a incidência de tributos, bem como as suas reduções e até o adiamento do pagamento.

Pois bem, além de conhecer todos os tributos que a empresa precisa pagar, ela precisa se planejar para lidar com isso para não perder a oportunidade de diminuir a carga tributária.

Isso nada mais é do que chamamos de gestão tributária eficiente, a qual ajuda a gerar mais dinheiro para se investir em outros recursos que são importantes para o negócio.

3. Fique de olho nos créditos e incentivos fiscais

Outro ponto importante para reduzir a carga tributária é ficar de olho nos créditos e incentivos fiscais.

Aliás, podemos dizer que é fundamental que as empresas utilizem desse tipo de incentivos e deduções para que ajude, inclusive, no planejamento tributário, o qual falamos no ponto anterior.

Nesse sentido, temos o ICMS, que é um tributo estadual, o qual pode oferecer a possibilidade de isenção, dependendo do regime escolhido e das particularidades da empresa.

No caso, esse tributo também pode ser utilizado para a obtenção de crédito em algumas despesas, tal como o consumo de energia elétrica, dependendo do setor de mercado que ela está inserida.

Além disso, há reais possibilidades desse tipo de benefício por meio de outros impostos, tal como o PIS e COFINS, basta realizar uma pesquisa mais aprofundada para saber mais ou até mesmo consultar um profissional especialista na área.

4. Escolha a estrutura de empresa mais adequada

Saiba que a escolha de um formato jurídico que mais se adequa à realidade do seu negócio, também poderá trazer muita eficácia na questão das isenções fiscais juntamente com outros benefícios.

Fazendo uma boa escolha também ajuda a evitar um problema que muitos negócios enfrentam: a dupla ou múltipla tributação. Isso acontece devido a diferentes critérios de atribuição fiscal nas mais diversas jurisdições do nosso país.

Portanto, se quiser reduzir a carga tributária da sua empresa, é preciso começar com o pé direito e dedicar um tempo para essa decisão. Se for preciso, recomendamos novamente consultar um profissional especialista na área.

5. Peça ajuda profissional

Por fim, nossa última dica é relacionada a muito do que já falamos por aqui: solicitar ajuda profissional para ajudar nesse processo.

Até porque, sabemos que você empreendedor pode ser um grande especialista na área de atuação da sua empresa, bem como o seu mercado, mas isso não quer dizer que possui domínio nas questões que envolvem a área tributária. E não há problema nenhum nisso.

Afinal, para que o seu negócio possa prosperar, é preciso focar mesmo no que você é bom. Porém, não deixe de lado essas questões mais burocráticas, que também são importantes para que a empresa possa funcionar da melhor maneira possível.

Então, o que acha de pedir ajuda de quem é especialista no assunto? Sugerimos fortemente a contratação de um advogado ou um contador para ajudar nessa questão e nas decisões que envolvem ela.

Fonte: MERC – Soluções empresariais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *